DACO exibe filme ‘Que bom te ver viva’

O filme ‘Que bom te ver viva’, de Lucia Murat, foi escolhido para o primeiro cine-clube da gestão AnimaDACO. O longa faz parte do kit da 9ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos, que aconteceu ano passado pelo Brasil. Nele, estão presentes produções que tratam de direitos humanos, inclusão e cidadania.

collage

Cena do filme e kit entregue às pessoas que participaram

Confira a sinopse:

O filme aborda a tortura durante o período de ditadura no Brasil, mostrando como suas vítimas sobreviveram e como encaram aqueles anos de violência duas décadas depois. “Que Bom Te Ver Viva” mistura os delírios e fantasias de uma personagem anônima, interpretada pela atriz Irene Ravache, alinhavando os depoimentos de oito ex-presas políticas brasileiras que viveram situações de tortura. Mais do que descrever e enumerar sevícias, o filme mostra o preço que essas mulheres pagaram, e ainda pagam, por terem sobrevivido lúcidas à experiência de tortura. Para diferenciar a ficção do documentário, Lúcia Murat optou por gravar os depoimentos das ex-presas políticas em vídeo, como o enquadramento semelhante ao de retrato 3×4; filmar seu cotidiano à luz natural, representando assim a vida aparente; e usar a luz teatral, para enfocar o que está atrás da fotografia – o discurso inconsciente do monólogo da personagem de Irene Ravache.

 

Todxs convidadxs!

Onde: Sala Moacy Cirne (C-100)

Quando: 13 de março de 2015 (sexta-feira)

Confirme presença no evento no facebook.

Anúncios

Quando o movimento cresceu nas pessoas…

Vinte e duas pessoas da UFF foram ao Erecom Seropédica 2014. Vinte e duas pessoas da UFF voltaram de lá. Mas será que essas pessoas da volta são as mesmas que foram?

Não sabemos dizer. Mas esperamos que cada uma e cada um tenha se sentido pessoalmente tocadx por tudo aquilo que viu e viveu por lá. Que a sua empatia pelx outrx tenha multiplicado. Que, passado o encontro, vejam ainda mais sentido em transpor nossos debates e utopias para o campo da ação.

O DACO agradece a cada uma dessas pessoas que participaram do encontro e se propuseram a sentir na pele a urgência por uma comunicação que expresse verdadeiramente a nossa liberdade. Agradecemos também às lindas e aos lindos com que topamos ao longo do caminho, e que tornaram a nossa experiência ainda mais transformadora.

A luta não para, e por isso convidamos mais uma vez a delegação uffiana e toda a comunidade acadêmica representada pelo diretório a construir o DACO, e imprimir nele a sua própria marca. Assim como cada membro da delegação uffiana imprimiu a sua na memória do Erecom Seropédica 2014 e na história da Enecos. E como esperamos que o encontro tenha também impresso a sua marca em cada uma e cada um de vocês.

“Sou, eu sou Enecos, eu sou, e eu vim comunicar que ninguém vai me segurar: VAMOS À LUTA!”

Como seremos bons comunicadores se não tivermos afeto pelo outro?

Meu relacionamento mais sério com a cidade de Seropédica começou no dia 10 de outubro e durou por três dias. Isso não impediu, de maneira nenhuma, a efervescência da relação que ali estava se iniciando.

Estava assistindo a um painel sobre “Combate às Opressões” – uma das bandeiras defendidas pela Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (ENECOS) em um auditório da UFRRJ – a famosa “Rural”. Porém, logo após a saída d@s palestrantes, aconteceu algo que achei inicialmente bem estranho: uma menina, que estava distribuindo pequenas tiras de TNT, pediu para que amarrássemos esta tira na altura dos olhos. Logo, percebi que as luzes do auditório foram apagadas.

Comecei, então a ouvir um som de sirene de polícia, enquanto uma mulher narrava manchetes que eram ligadas à violência de gênero e homofobia. (por exemplo, “Aluna da Rural sofre tentativa de estupro” e “A homofobia no Brasil cresce cada vez mais”). De repente, surgiram vozes gritando: “Puta!”, “Viado!”, “Vagabunda!”. Estas palavras me deixaram sentido. Atingiam a todos na sala. Apesar de nem todos serem mulheres ou homossexuais, houve uma pequena (e, ao meu ver, inesquecível) experiência na qual todos puderam sentir as mesmas dores.

Todos foram atingidos pelas mesmas palavras. Poderosas palavras, que podem destruir – como fazem – a autoestima e reforçam a posição de marginalidade de uma pessoa em relação a sociedade em que vive.

Comecei a ouvir choros de uma platéia que ouvia o que milhares de pessoas têm de ouvir nas ruas. Eu não chorei, mas engoli de tal intragável forma aqueles insultos que me deu um instante de revertério. Como uma ideia constante de que “aquilo não está acontecendo”. Mas, de alguma forma estava.

Esta foi uma manifestação artística com um cunho fortemente social que, dentro da ENECOS, denomina-se “Mística”. Assim, o Encontro Regional dos Estudantes de Comunicação Social me deu a oportunidade de repensar as problemáticas que surgem aos estudantes da área. Na base do impacto e do debate.

Quando já me sentia insustentável com a situação, reconheci uma voz amiga que cantava que “Olhar para o outro faz bem”. Enquanto isso, retirava-se o pedaço de TNT que me vendava. Me achei em uma sala escura, que demonstrava a invisibilidade na qual se encontravam as pessoas atingidas por essas violências. E, logo depois, uma pergunta foi feita a platéia: “Como vocês querem ser bons comunicadores se não tiverem afeto e sensibilidade pelo outro?”. Para mim, não existe como.

Olhando para trás, percebo que foi pouquíssimo tempo de evento. Mas, ao mesmo tempo, percebo o quanto ganhei de experiência e troca de ideias com os outros participantes. Não seria interessante aqui pontuar todos, mas ver a vontade e os desafios de se estabelecerem bases de movimentos estudantis nas faculdades de Comunicação no Sudeste afora somente me anima para continuar a trilhar este caminho de questionamento e melhoria das nossas condições como estudantes e futuros profissionais da área.

Tive, em especial, a oportunidade de conhecer melhor pessoas maravilhosas que estudam em minha universidade. Com eles, cantei muitas músicas e dancei bastante nas Culturais (!) A eles eu agradeço, pelos ótimos momentos. Também devo agradecer ao DACO – UFF, porque, como já disse uma vez a eles: “A existência e atuação desse diretório faz a minha faculdade ter sentido”. E, depois, a ENECOS e todas as maravilhosas pessoas que se empenharam em fazer do encontro um espaço de diversão, inclusão e cultura.

E assim, meu relacionamento com Seropédica não acabará apenas com a minha saída do campus da Rural – onde aconteceu o encontro. E, ao pensar nas pessoas que conheci e nos discursos que ouvi estes dias, lembro dos versos da querida Mercedes Sosa, que dizem:

“El canto de ustedes, que és el mismo canto.
El canto de todos, que es mi proprio canto.”

Muito obrigado por tudo, pessoal!

Por Mateus Machado
1º período de Comunicação Social – Jornalismo UFF

O ERECOM Seropédica 2014 vem aí!

[R]esistir, [R]eexistir, [R]essignificar, [R]eformar, [R]einterpretar, [R]ecomunicar, [R]egional

Nos dias 10, 11 e 12 de outubro, a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro vai receber estudantes da região Sudeste do Brasil para debater Comunicação, Cultura e Resistência. O Encontro Regional dos Estudantes de Comunicação Social – Seropédica 2014, um evento da ENECOS, foi organizado durante meses pelo coletivo Bonde do Rio.

Bonde do Rio chegou para derrubar os muros do oligopólio da comunicação, da privatização da educação, da opressão e da invisibilidade às minorias.
Está decretado que toda população marginal desse país tem voz. Que toda mulher, todx homossexual, todx transexual, todx pretx, todx pobre tem espaço.
Está decretado que todo beco de favela é espaço de livre-sonhar e que todo sonho de todx meninx pobre vale mais que duas mil luas sob um céu constelar.
Viemos para olhar pelo avesso do mundo, para questionar os padrões, para ressignificar os sentidos e fazer nascer da instabilidade a bruta e linda flor da resistência. Vamos parir o novo porque não temos medo que do asfalto quente da metrópole carioca saia a mudança. Quando a gente se desprende da coerência e aceita a contradição, o mundo gira.  

As inscrições e pagamento podem ser feitas até o dia 30/09. Acesse o site, se inscreva e tenha acesso à programação do Encontro.

Convocamos tod@s @s estudantes de Comunicação Social (e demais interessados no tema) a discutir a qualidade da nossa formação, o combate às opressões colocadas na mídia e a democratização dos meios.

Semana de recepção aos calouros 2014.2

 

10534505_716542535083937_2734380550690990601_n (1)

Na semana de 28/07 a 01/08, o DACO promoveu a Semana Acalourada para os calouros do segundo semestre de 2014. Depois de muitos telefonemas, trocas de e-mails, reuniões no IACS e conversas nas redes sociais, conseguimos fechar a programação desses cinco dias e tudo ocorreu da melhor maneira possível.

Na segunda-feira (28/07), os professores Dante Gastaldoni e Carla Baiense estiveram no IACS para apresentar aos alunos o setor de Fotografia do departamento e o jornal O Casarão, respectivamente. Depois, a programação seguiu com Oficina de foto digital e Lightpainting. Confira os álbuns aqui, aqui e aqui.

Na terça-feira (29/07), fomos ao Sindipetro para uma oficina de rádio e TV. Divididos em duas equipes, os calouros entraram ao vivo na Rádio Petroleira e outros entrevistaram manifestantes em um ato em solidariedade a Palestina, que ocorria na Cinelândia. Clique aqui.

No dia seguinte, quarta-feira (30/07), a programação foi uma visita ao jornal O Dia. Os calouros acompanharam o processo de fechamento de um jornal diário, o funcionamento de uma redação e os desafios do jornalismo impresso. Confira as fotos da atividade.

Na quinta-feira (31/07), fizemos um tour pelos campi próximos da UFF, indicamos as ruas e os melhores caminhos para os estudantes do IACS. Depois, fomos para a nossa casa rosa para apresentações de grupos e coletivos. No final, fomo ao estúdio de rádio para uma conversa com o operador Marcelo Santos e a aluno Sabryna. Veja as fotos aqui.

No último dia, os calouros foram à Coordenação do curso para a inscrição nas disciplinas. Após, a atividade foi no bar!

Esse foi o primeiro grande desafio da nova gestão do DACO. E deu tudo certo!

Chega junto! Já deu para perceber que DACO é bom né?

 

2º Pré-encontro para o ENECOM 2014

10389026_702641683130963_8796840234411983282_n Nesse sábado (14/06), às 14h, ocorre o 2º Pré-encontro para o ENECOM 2014. Dessa vez, no nosso querido IACS.

O evento, organizado pelo coletivo Bonde do Rio, vai discutir a democratização da comunicação. A mestranda do PPGMC (PPG Mídia e Cotidiano) Tatiana Lima e o integrante do Intervozes Bruno Marinoni são @s convidad@s para promover o debate com @s estudantes.

Nos Pré-encontros, @s alun@s de Comunicação Social do Rio de Janeiro (UFRJ, UERJ, UFRRJ, PUC-RIO, CCAA, UNIGRANRIO, FACHA e UFF) se reúnem para conversar sobre temas que serão pauta do encontro nacional.

Em 2014, o ENECOM vai ocorrer em Alagoas.

Para saber mais sobre o evento, clique aqui.

I Seminário de Formação da Regional Rio

O DACO, como integrante da ENECOS Regional Sudeste II, esteve no último mês envolvido na organização desse I Seminário de Formação – além da nossa Calourada 2012.2.
O seminário, que nos ocupou bastante nesse final de período complicado do pós-greve, será nos dias 2, 3 e 4 de novembro.
Entendemos que não faz sentido organizar e sediar o Encontro Regional de Estudantes de Comunicação Social, se a comissão organizadora não entender o tema do encontro: mega eventos e criminalização da pobreza. Portanto nosso objetivo é formar integrantes dessa comissão do ERECOM – Rio 2013.1.
Faremos rodas de estudo e debate sobre mega eventos e criminalização da pobreza, relacionando-os com democratização da comunicação, combate às opressões e qualidade de formação do comunicador. Traremos também o tema, novo em nossa história de ENECOS: Cultura popular – Mulher e funk.
Vamos publicar fotos e vídeos do seminário com o conteúdo para estudo, aguarde.