Por uma nova cultura política no movimento estudantil

Nos dias 23 e 24 de maio, ocorreu o primeiro Seminário de Formação Política da gestão AnimaDACO. Nos reunimos durante o final de semana em Maricá para conversar sobre militância e a necessidade de novas práticas para superar velhos vícios no movimento estudantil.

No sábado, a conversa girou em torno de  temas mais gerais. Abordamos política, conjuntura socioeconômica e a inserção dos profissionais da Comunicação no contexto neoliberal e nas mobilizações sociais. Para fomentar as discussões, assistimos aos documentários: Privatizações: A Distopia do Capital, de Silvio Tendler, e Brad: Uma Noite Mais nas Barricadas.

No segundo dia, lemos o texto Nós Não Vamos Pagar Nada: Unificando Diferentes para Fazer a Diferença. A partir da leitura, reforçamos a importância de se construir um movimento estudantil que seja de fato democrático, plural e autônomo. Debatemos o movimento estudantil da UFF e planejamos um calendário de atividades de greve. Ao final, ressaltamos a necessidade de encontramos assim, em que podemos refletir sobre as práticas e traçar novas perspectivas.

daco

Thayane, Fernanda, Isabella, Manu, André e Samantha: sonhos compartilhados

Que UFF queremos?

Você lembra do formulário de avaliação de curso que o Daco elaborou, voltado pra galera de publicidade? Pois é, os resultados da avaliação viraram um relatório que foi entregue no dia 12 de março aos avaliadores do MEC. A participação maciça de estudantes de publicidade foi essencial pra que as demandas reais do curso fossem apresentadas.

No fim das contas, pressionada pelo MEC, a reitoria se comprometeu a abrir um canal de diálogo com os departamentos cujos cursos tiveram mau desempenho na avaliação.

Que UFF queremos? Que Iacs queremos? Que curso de Comunicação queremos? É hora de botar a boca no trombone, para que possamos construir uma carta de reivindicações que represente as demandas reais do corpo discente, para que possamos fazer pressão na reitoria por melhorias no curso! Por isso, lançamos agora o FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DE CURSO PARA ESTUDANTES DE JORNALISMO e reabrimos o de PUBLICIDADE (para que mais estudantes possam responder).

Queremos saber: o que vocês acham das disciplinas externas? Como é o acesso aos equipamentos do IACS? Dispomos de recursos suficientes para boas produções de radio e tv? Vem, fala, fala mais! O megafone tá na mesa, pode falar o que você quiser!

Formulário de PUBLICIDADE: http://goo.gl/nUe8I6

Formulário de JORNALISMO: http://goo.gl/9sVvqB

DACO entrega avaliação de alunos a representantes do MEC

O DACO disponibilizou um formulário online em que xs alunxs de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda puderam opinar e avaliar a estrutura, currículo e corpo docente do curso. O objetivo era identificar os principais problemas dxs estudantes e, assim, fornecer material para a avaliação do Ministério da Educação.

O documento foi entregue aos avaliadores Milton Pelegrini (PUC-SP) e Bruno Fuser (UFJF), na última quinta-feira, 12/03.

A visita do MEC foi motivada pela nota baixa no Enade. O boicote ou não a a esse exame levanta muitas discussões e o DACO pretende retomar esse debate durante o ano.

Confira o relatório:

DACO exibe filme ‘Que bom te ver viva’

O filme ‘Que bom te ver viva’, de Lucia Murat, foi escolhido para o primeiro cine-clube da gestão AnimaDACO. O longa faz parte do kit da 9ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos, que aconteceu ano passado pelo Brasil. Nele, estão presentes produções que tratam de direitos humanos, inclusão e cidadania.

collage

Cena do filme e kit entregue às pessoas que participaram

Confira a sinopse:

O filme aborda a tortura durante o período de ditadura no Brasil, mostrando como suas vítimas sobreviveram e como encaram aqueles anos de violência duas décadas depois. “Que Bom Te Ver Viva” mistura os delírios e fantasias de uma personagem anônima, interpretada pela atriz Irene Ravache, alinhavando os depoimentos de oito ex-presas políticas brasileiras que viveram situações de tortura. Mais do que descrever e enumerar sevícias, o filme mostra o preço que essas mulheres pagaram, e ainda pagam, por terem sobrevivido lúcidas à experiência de tortura. Para diferenciar a ficção do documentário, Lúcia Murat optou por gravar os depoimentos das ex-presas políticas em vídeo, como o enquadramento semelhante ao de retrato 3×4; filmar seu cotidiano à luz natural, representando assim a vida aparente; e usar a luz teatral, para enfocar o que está atrás da fotografia – o discurso inconsciente do monólogo da personagem de Irene Ravache.

 

Todxs convidadxs!

Onde: Sala Moacy Cirne (C-100)

Quando: 13 de março de 2015 (sexta-feira)

Confirme presença no evento no facebook.

Quadro de Horários 2015.1

Comunicação e Política? Audiovisual e Mídias Digitais? Mídia e Religião? Reportagem Especial?

O Departamento de Comunicação Social (GCO) acabou de liberar o quadro de horários do nosso curso para 2015.1.

Confira:

Horários_PUBLICIDADE_ 2015_1

Horários_JORNALISMO_2015_1

E aí? O que acharam? Algumas das disciplinas ofertadas foram bem votadas no formulário de demanda de optativas organizado pelo Diretório.